terça-feira, 6 de setembro de 2011

Medo.

Quem acompanha meus textos, sabe que eu gosto de escrever sobre coisas ecléticas. Não sigo uma linha de escrita. Por isso, um dia falo sobre infância e no outro sobre violência. E o que eu quero dizer hoje é que ainda estou chocada com a notícia que acabei de ler. Ontem, segunda-feira, dia 05/09/2011, aproximadamente 12h30min uma jovem, enfermeira, foi ser solidária com alguém que pediu ajuda e acabou sendo assaltada e estuprada por um usuário de crack. Eu sinceramente, não sei o que dizer sobre isso. Apenas que estou chocada! Melhor, a cada dia que passa, tenho mais medo de andar na rua. Eu soube que uns guris que estudaram comigo a vida toda, hoje estão fazendo parte de uma quadrilha procurada pela polícia. Soube que outros, estão viciados, provavelmente, assaltando pessoas honestas. É triste ver no que a sociedade está se tornando. Mais triste ainda é ver que a realidade de cidades grandes, agora está em cidades pequenas, também. Nem em nosso lar podemos ficar sem medo. A qualquer momento pode entrar alguém e render toda a sua família. Um viciado faz coisas que Deus duvida quando precisa da sua droga. Não culpo apenas o crack pela degradação da sociedade. São vários fatores. É lamentável essa nossa realidade. Não tenho nem mais o que dizer. Tenho medo de sair na rua. Mas, tenho mais medo que coisas assim destruam o que eu mais amo nesta nossa vida: a nossa infância. Que coisas assim, nos impeçam de sonhar! 
Postar um comentário