sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Parado, parou.

Tudo está parando agora.
O tempo, o vento, a vida e a história.
O amor nos corações mais calorosos.
A felicidade nos sorrisos mais sinceros.
Tudo parou agora.
A criança no parque, com suas brincadeiras.  
O senhor, velhinho e sua bengala companheira.
A igreja, o padre, a missa e a freira.
Tudo está parado agora.
E a hora talvez não venha a passar
E meus pés insistem em não mais caminhar.
Até que isso tudo comece a se movimentar.
E tudo pifou.
O relógio parou.
E a vontade acabou.
E eu já não sei mais o que fazer.
Nem sei por onde começar
A procurar as pilhas que fazem esse mundo girar.
Postar um comentário