sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Liberdade

Sinto - me um passarinho,
Que voa livremente
Sem cordas
Sem correntes

Oh! Passarinho
Que habita minha alma
Sabe que só agora
Estou em calma

Posso dizer- lhe, passarinho
Que este é um começo
De uma nova vida.
Uma vida,
que nunca vivi.

Postar um comentário