terça-feira, 23 de outubro de 2012

Conversa com o céu.



O céu olhou pra mim e perguntou:
- Por que estou cinza se tens uma caixa de lápis de cor nas mãos?
Eu parei. Não sabia o que responder. Estou tão acostumada com ele assim, sem vida, que nunca tinha parado para pensar:
“Por que o céu está cinza?”
Fui pra casa, tomei banho, li um livro ao som de “The Beatles”. Cores, cores.
Tudo colorido. Menos o céu. Ele está cinza. Sem cor.
Pensei como poderia mudar isso. Ora, não! Não sou eu quem vai pintar o céu. Ele não existe só pra mim.
Perdida em pensamentos, adormeci.
Em meus sonhos, crianças corriam pelos campos verdes, entre flores de todas as cores. E o céu? Azul, branco e com um lindo arco-íris.
Acordei assustada.
Como é possível uma simples pergunta me deixar tão pensativa.
Foi quando uma luz invadiu meus pensamentos:
Se o céu está cinza e eu tenho lápis de cor, por que eu não posso tentar deixa-lo mais colorido e alegrar um pouco a vida das pessoas?
Saí correndo da cama e fui pra rua. “Tenho que deixar esse céu igual ao dos meus sonhos”.
E daí eu percebi que existem coisas que a gente tem que simplesmente tentar fazer. Elas não vão mudar sozinhas. Se eu quero que algo seja de uma forma, eu tenho que ir lá e tentar fazer alguma coisa para mudar a situação. E assim, correr cada dia mais pra perto da felicidade.  
Postar um comentário