segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

O fim da Terra do Nunca.


Estou começando a crer no me falaram: A TERRA DO NUNCA NÃO EXISTE! Não so viver em paz, levar uma vida como eu quero/preciso. O fantasma do Capitão Gancho volta para me assombrar. Ele me culpa por tudo, até pela existência do seu gancho. Pelo tic TAC do relógio no estomago do jacaré. Esse malvado capitão é um fantasma que volta e meia aparece pra destruir a minha vida e me deixar muito mal. Ele aparece e corta as minhas asas. Acaba com o pó mágico da Sininho. Acaba com toda a fantasia que existe na vida. Na história original, Capitão Gancho não era tão malvado quanto este ser egoísta que está presente na minha vida. Se eu pudesse cortar o elo que eu tenho com ele, eu faria. Mas, no fundo, sinto a culpa cair nos meus ombros. É, eu sonhava, como o Peter Pan. Queria ser criança pra sempre. Ter um espírito infantil, a inocência de uma criança. Até que eu percebi que as pessoas se aproveitam de mim exatamente por isso, por eu querer ser feliz na minha terra do Nunca.  
Postar um comentário