quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Ninguém é perfeito.


Sempre que posso, eu ajudo as pessoas. O meu problema é que muitas vezes as pessoas me interpretam mal. Já fui injustiçada tantas vezes, que nem ligo mais. Só que tem dias em que estamos mais sensíveis. Talvez, eu tenha sido dura com algumas palavras. Não nego isso. Só que o fato de eu ter um jeito de fazer as coisas não quer dizer que eu esteja prejudicando ou querendo o mal de alguém.
Faz tempo que eu não escrevo um desabafo. É que hoje eu estava tão feliz, apesar da gripe. Mas, quando cheguei num lugar, algumas pessoas me deixaram triste por me compreenderem errado.
Bom, desculpem pelo despejo de palavras. Sei que esse texto ficou egocêntrico. Mas, eu volto a explicar que eu não sou perfeita, sofro de transtorno bipolar, tenho uma deficiência visual, fui esquecida por algumas pessoas e não sou a perfeição que meu pai acredita que eu seja. Às vezes me pergunto se estou fazendo as coisas certas, se as minhas escolhas servirão para o bem.
Sei de uma coisa: NINGUÉM É PERFEITO. Eu erro, tu erras, ele erra. Cabe a nós apenas admitir o erro, aprender com ele e tentar contorná-lo.
Se eu pudesse aconselhar vocês, eu diria:  As pessoas que mais se importam conosco, às vezes, são duras e nos ferem. Mas, tudo o que elas fazem é para o nosso bem. Não tirem conclusões precipitadas e nem falem coisas que não saibam. Uma palavra machuca mais do que mil tapas.
Um abraço.
Postar um comentário